Empreendimentos mixed-use são tendência do mercado

Empreendimentos de uso misto, ou “mixed-use”, termo utilizado atualmente, não são exatamente uma novidade no mercado imobiliário. Em São Paulo, por exemplo, sabe-se da construção de prédios desse tipo desde 1957, caso do Conjunto Nacional, na Avenida Paulista. Porém, o desenvolvimento desse tipo de mercado foi lento até a década passada, quando o mercado percebeu a insatisfação das pessoas com relação às dificuldades de mobilidade em cidades grandes. O trânsito, a violência e as grandes distâncias, incomodam e motivam os moradores a ficar o mais próximo possível de casa. Em São Paulo, por exemplo, não é raro perder mais de 3 horas por dia só para ir e voltar do trabalho, no trânsito. E se fosse possível ir de casa para a empresa, a poucos andares de distância, em menos de 5 minutos? Isso já é realidade para muitas pessoas, principalmente nas maiores cidades do Brasil.

São Paulo já conta com 7 empreendimentos mixed-use espalhados pela cidade, e a perspectiva é de aumentar esse número para 17, até o final de 2013. Segundo Paola Alambert, essa é uma tendência mundial, já que em todas as grandes cidades, as pessoas querem se locomover menos. Além disso, nos últimos anos houve falta de empreendimentos com apartamentos pequenos e escritórios, acumulando agora uma demanda muito grande. Somente para esse ano, estão previstos vários lançamentos nesses moldes para a cidade. Ao investir em mixed-use, o principal (mas não o único) público buscado pelas incorporadoras, são as pessoas que moram só, tem alto poder aquisitivo e pouco tempo livre. Regiane Adrião, gerente de condomínios da administradora Hubert, diz que algumas pessoas fazem do imóvel uma segunda moradia, dormindo no apartamento durante os dias úteis, e indo pra casa nos finais de semana.

Em Curitiba, essa é uma tendência que já vem se confirmando. Várias construtoras estão investindo no modelo, que segundo pesquisas de mercado, tem forte demanda na capital paranaense. Tecnisa, Rossi, Invespark e PDG são algumas das empresas que vem observando e apostando nesse tipo de empreendimento. Algumas das opções oferecidas pela imobiliária WBonato, são o HUB Home Urban Business, o Universe Life Square, o City Centro Cívico, o LifeSpace Sete de Setembro e o Champagnat 2340. Todos muito bem localizados, em região central, com infraestrutura completa e ampla rede de serviços prevista para o próprio empreendimento. Os empreendimentos mixed-use são uma resposta a uma mudança de comportamento das pessoas, e Curitiba, sendo uma cidade moderna e modelo, não poderia ignorar essa tendência.

Todo o investimento feito pelas empresas, está baseado em números do mercado. Segundo Ricardo Laham, diretor de incorporações da Brookfield, um empreendimento misto chega a valer até 20% a mais do que os demais, devido a um grande valor agregado. Isso pode ser um bom motivo para investir em um imóvel desse tipo. De qualquer forma, conversar com um corretor pode esclarecer dúvidas quanto às características de cada opção, e tornar mais segura essa decisão. Acesse nosso chat e tire suas dúvidas!

Fontes: Estadão.com.br, Exame.com, Administradores.com.

Esta entrada foi publicada em Mercado Imobiliário. Adicione o link permanenteaos seus favoritos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

*